A coisa pingada

(Para tentar entender o mundo de dentro e de fora)

Hoje o dia se fez em poesia

Coisas para serem ditas e vividas
Não porque se queria tal primazia
Simplesmente estava lá, as cantigas

E de repente as cores se tornaram mais bonitas
As esperanças despreocupadas brincavam
As águas agora estavam ainda mais límpidas
E os enganados, a nova aurora brindavam.

Mesmo o triste fim do menino do circo
Aquele coitado, que se perdeu, embriagado
Que muito chocou nosso mundo critico
Ele agora descansa numa nuvem deitado

E assim vai, sem rumo, sem lógica alguma
Um pouco de tudo, contando com a loucura
De um lugar chamado “de todos”. Pura calúnia!
Vamos brincando entre a tristeza e a brandura

Até no dia em que mais nada passará
De uma história esquecida e apagada
Não só na lembrança do contador Borah
Mas também daquela coisa pingada...

.................Pingada...

...........Pingada...

..................Pingada...

............Pingada...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gentileza

Reflexos

Sobre