O Diário de Teegoh - Semana 05

Sem mais delongas, a mudança ocorreu como o previsto: sem muitas emoções por parte de ninguém. Mas, de um modo ou de outro, sinto certa falta daquele casarão. Não diria, contudo, ser saudade, pois minha memória não é tão seletiva a ponto de transformar pedregulhos em diamantes. Talvez um dia eu seja assim... mas, creio que isso nunca acontecerá.

Realmente aqui o mundo parece ser outro mundo. A viúva, dona da pensão é bem carola de fato, mas faz vista grossa para muitas coisas que os pensionistas arranjam por cá. Percebi desde o primeiro instante que entrei aqui que todas as regras estão bem estabelecidas (até aquelas que já nasceram quebradas). Pelo visto a vida aqui será bastante harmoniosa.

O que não parece estar harmonioso é o clima por aqui. É bastante nítida a tensão que se espalha nos corredores da academia, apesar de eu não saber bem o que está acontecendo. Pequenos grupos de veteranos pelos cantos, com olhares atentos a tudo e a todos... Somente os meus colegas de turma parecem não perceber nada... tão vislumbrados, coitados... Talvez seja por isso que eu não me aproximei de verdade por aqui, são todos tão diferentes de mim.

Os afazeres por aqui são consideráveis, mas nada que eu não dê conta com certo tempo para fazer algo a mais. E ontem chegou o baú esquecido! Que alívio... eu havia guardado nele o livro secreto e fiquei um pouco apreensivo ao pensar que ele poderia não ser mais tão secreto como eu queria. Mas, o caixote chegou aqui exatamente como eu o fechei lá. Enfim, Teegoh.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gentileza

Reflexos

Sobre