Bom Céu, o despetar de um descontinuado

O que é pra ser vai ser! E o que é para não ser, não será! Parece simples chegar a essa conclusão, ainda mais quando colocadas em palavras de um ser que mal você conhece algumas páginas escritas em letras atormentadas.

Mas caro amigo, acho que tudo pode ser mais simples, mas dinâmico, mas vivo! Mesmo que às vezes minhas atitudes mostram-se o contrario das minhas palavras. As A tua vida é a constante guerra entre o fazer e o não fazer: de suas atitudes! Depende do que você quer e dos seus desejos.

No momento, deseje apenas a felicidade... isso é quase impossível de se ter para si o tempo todo, por isso deseje-a sempre! É pelo desejar algo que o faz ter momentos felizes.
Preocupo-me com o que você pensa de mim e quais são as suas reações perante os meus devaneios escritos e falados. Mas me preocupo pelo fato de ser o que é mesmo! Talvez as voltas dessa terra de sonhadores façam que das minhas palavras os cavalheiros das sete casas encontrem respostas até nas entrelinhas das estrelas, e que nunca são o que eu quis dizer, depende de ti, do que você quer ouvir. O que quer ouvir?

Sinto-me melhor nesse momento, na verdade, sinto-me bem melhor. É como se eu estivesse cultivando os temores das descobertas com alguém que tenho uma grande admiração, um grande respeito e que posso dizer sem medo das interpretações curvadas (e eu sei que sou totalmente controverso nesse ponto) que te amo!

Talvez ontem eu tenha pensado que o melhor caminho seria fechar as portas do meu castelo para sempre, talvez eu ainda pense nisso amanhã. Não queria mais me refugiar, porém também não queria encarar algumas coisas que são o que são. Queria um colchão de pétalas para meu leito eterno onde os pássaros cantariam ao amanhecer e houvesse água corrente.

Ouço a música dos meus sentimentos. Ela é alta, confusa, uma mistura dos mais variados instrumentos. Ela me ensurdece e faz pensar em coisas nunca antes pensadas. Talvez o que mais eu queira de ti é o teu aberto mar azul, um lugar calmo onde eu possa descansar os pés sujos e a alma de um descontinuado nas areias brancas dos teus bons pensamentos. E que nas noites, as estrelas dos teus olhos se espalhem nesse belo céu para iluminar de forma singela os castelos daqueles que decidiram não viver mais.

Para terminar, obrigado por me agüentar... obrigado por tentar me entender e me dizer palavras confortáveis.
Não poderia nunca partir sem deixar, mesmo que de forma breve, o quão você é especial para mim. Pode-se considerar um homem melhor hoje, pois salvou uma vida essa noite.

Comentários

Anônimo disse…
As vezes as coisas parecem confusas e são simples. Noutras são um emaranhado de fragmentos diversos. A gente vê um pedaço pensa entendê-lo, toma coragem, acredita que é capaz de desvendá-lo sem dificuldade e, de repente, percebe que não é tão dono de sí quanto se imaginava, tão forte, tão sabedor das coisas ou mesmo que nem tudo é tão óbvio e bem delimitado quanto se pensava.
Eh... E nessas conversas pedaços vão ficando para tráz pois vc já não precisa mais carrega-los. Novos temores, novas conquistas, anseios e que aquela mesma insegurança sorrateira que vez ou outra aparece para enebriar a razão e deixar tudo parecido com o ontem. Mas tudo é só parecido. Vc está agora melhor e mais forte. Se os desafios são maiores, és porque representam a exata medida de sua capacidade para superá-los.
E quantos outros ainda não virão... Esteja certo.
Uma vida salva? Desconfio. Talvez ela nunca corresse perigo; talvez estivessem ambos tão perdidos no corriqueiro do dia a dia que não puderam se escutar, ouvir o que tinham a dizer para sí próprio e, após ao outro. Mas não deixa de ser uma alegoria forte.
E uma coisa resta disso tudo, desse emaranhado confuso de orações, uma coisa simples e verdadeira, a minha certeza de que, de um modo ou de outro, estaremos juntos, porque vc já faz parte de mim e eu te amo.

Postagens mais visitadas deste blog

Gentileza

Reflexos

Sobre o cotidiano