1º Ato

Sonho o sonho dos dias bons, pois este entardecer não me agrada. Ontem me enganei com um contador de histórias. Eu havia acreditado no mundo mágico do reino de lá! Mas eu vi como é por detrás do cenário e, para ser sincero, tive náuseas.

Sonho com o retorno do novo. Já posso ver, quase na linha do horizonte, uma fase estranha se findando. Tenho esperança! Eu sei hoje o quanto fui vulnerável, susceptível, envenenado por frivolidades... Deste teatro eu não quero ser nem espectador!

Sonho com os sonhos de antes. O rapaz romântico, a vida pacata, os desejos provincianos e devassos... E mesmo que dentro de mim as tempestades de tormentas continuem dançando suas incansáveis coreografias, não terei com que me desesperar pois o caminho até o meu porto é mais do que conhecido.

Sonho com os sim’s e com os não’s. Sonho com as conquistas mútuas e com as tardes de cumplicidade. Sonho, sobretudo, com um amor real! Daquele que vive sob o signo do companheirismo gentil e afetuoso, e mesmo que ele seja diferente do comum, que ele seja sobretudo do nosso jeito.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gentileza

Reflexos

Sobre o cotidiano