Aos anônimos e aos novos conhecidos

Um alguém, uma alma me escreve, numa madrugada comum, a seguinte mensagem enigmática " Sempre leio seus textos. De alguma forma, eles me ajudam a entender melhor a vida! ". Era um anônimo, não me deixou nem pedaços de miolo de pão para eu encontrar o caminho até ele. Mas, espero que ele volte, e me deixe um bilhete...
.
Um alguém, que conheci numa madrugada... tão instigante... tão questionador... tão duro consigo mesmo e com palavras... quero falar de novo com ele...
.
.
Para eles...
.
Tae, por mais que não se espere por isso, mas se quer aquilo, podemos nos surpreender como com que as coisas se dão. Por exemplo, do nada, me dizem o que preciso fazer... mas não o que eu preciso fazer, na verdade... ele diz o que ele quer olhar... o que não quero ouvir, mas sei que é algo verdadeiro... enfim, escutamos e dizemos o que bem entendemos!

Mas, nessa quase torre de babel de entendimento (ou desentendimento), acabo que por me surpreender... não só pela excêntrica maneira que nos comportamos e na incoerência dos fatos, mas contudo, por depararmo-nos com as mais surpreendentes pessoas... E eu (nessa complexidade de primeira e muitas outras pessoas) fico a me perguntar quem é aquele que me aborda de tal maneira, de maneira tão singular? Nem sei qual é a cor preferida dele! Poxa, nem ao menos sei se ele tem medo do escuro, ou de palhaços! Mas, não entendo, só sinto, e sinto que tenho vontade de me aproximar mais e mais, conhecer os medos, os desejos e devaneios todos, de uma só vez... e, o que acontece? Eu sempre o assusto... e ele sai correndo! Fico na poeira dos vestígios incompletos de tudo!

Quem sabe não poderei um dia olhar de novo aqueles olhos que nunca vi... quem sabe um dia os meus anônimos se identifiquem... eu os adoro! Por favor, me diga um oi, mas que seja um oi onde eu possa retribuí-lo também! É assustador ler que eu meio que ajudo a ele entender a vida, não entendo nada... e quando eu tento entender algo apenas vejo que nada entendo.. contudo, eu tento e queria poder contar contigo também! Por isso, sabe a porta do meu castelo, poderia, por hora deixar-me uma rosa (e-mail) para eu lhe mandar a carruagem de boas novas?

Comentários

Anônimo disse…
Leio-te imensas vezes. Gosto de te ler, um dia felei contigo, ofereci-te palavras bonitas, atiraste-me pedras, bloqueaste-me, como te se tivesse feito mal. Gostava de te entender. Continuas sempre assim? Até quando? Pareces assustador e isso não é bom. Este anónimo vai apendendo e entendo que um bilhete só não chega.
Bj
Junnuz J. disse…
Não me lembro disso... Não me lembro de ti, mas se vc for quem eu penso que é, eu devo ter te bloqueado sim, pois não me senti a vontade contigo, pensei, naquela época que queria algo que não ia lhe oferecer. Contudo, sabe o meu e-mail, me escreva, se quiser, um novo dia pode ser sempre melhor...

Postagens mais visitadas deste blog

Gentileza

Reflexos

Sobre o cotidiano