Guardar-me

Insiro minha alma em uma cúpula de vidro a partir desse momento. Por aquelas bandas ela deve permanecer por enquanto... ou para o sempre.
Deixo de lado meus sonhos, deixo de lado meus desejos mais íntimos para tentar sobreviver essa coisa que chamam de longa caminhada para a vida... Mesmo sem enxergar aonde isso tudo vai dar, mesmo sabendo que a tua falta me consome mais do que se eu estivesse em uma banheira de lava...

No momento, o que almejo é força, por isso, peço uma cúpula de vidro, mesmo que houvesse uma fila de cavalos alados à minha espera para levar-me ao paraíso, os deixariam partir sozinhos, pois o meu paraíso esta bem aqui, bem ai...

Queria eu entrar naquela barca que espera os desafortunados... mas sou tão fraco nesse momento que nem consigo alcança-la. Talvez porque eu tenha esperanças...

Dessas palavras sem nexo algum de um jovem descontinuado, faço-as como minha última prece. Estou preso nas brumas do cemitério do silencio a partir desse momento... Vou tentar deixar o tempo agir, mesmo sabendo que ele pode não estar ao meu favor...

Suicido minha alma para salvar o corpo... vou tentar ser diferente de Wether... não sei se conseguirei, pois nem sei o que eu realmente quero... só conheço meus sentimentos, e eles são verdadeiros, mesmo que às vezes eles sejam demonstrados nas tortas linhas do destino.

Enquanto isso... queria deixar a chuva dentro de mim... queria ouvir a voz de Shakespeare...


Depois de algum tempo....


Depois de algum tempo você aprende a diferença,
a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma.
E você aprende que amar não significa apoiar-se
e que a companhia nem sempre significa segurança.
E começa a aprender que beijos não são contratos e presentes não são promessas.
E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante,
com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.
E aprende a construir todas as suas estradas no hoje,
porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos
e o futuro tem o costume de cair em meio ao vazio.
Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo.
E aprende que não importa o quanto você se importe,
algumas pessoas simplesmente não se importam...
E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa,
ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso.
Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.
Descobre que leva-se anos para construir confiança
e apenas segundos para destruí-la e que você pode fazer coisas em um instante,
das quais se arrependerá pelo resto da vida.
Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias.
E o que importa não é o que você tem na vida,
mas quem você tem na vida.
E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.
Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam. Percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada,
e terem bons momentos juntos.
Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida
são tomadas de você muito depressa.
Por isso, sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas
- pode ser a última vez que as vejamos.
Aprende que as circunstâncias e os ambientes têm influência sobre nós,
mas nós somos responsáveis por nós mesmos.
Começa a aprender que não se deve comparar com os outros,
mas com o melhor que pode ser.
Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser,
e que o tempo é curto.
Aprende que não importa onde já chegou,
mas onde está indo.
Mas se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve.
Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão,
e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade,
pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação,
sempre existem dois lados.
Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer,
enfrentando as conseqüências.
Aprende que paciência requer muita prática.
Descobre que, algumas vezes, a pessoa que você espera que o chute quando você cai,
é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.
Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve
e o que você aprendeu com elas, do que com quantos aniversários você celebrou.
Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.
Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens,
poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.
Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva,
mas isso não lhe dá o direito de ser cruel.
Descobre que, só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame,
não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode,
pois existem pessoas que nos amam,
mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.
Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém,
algumas vezes você tem que aprender a perdoar a si mesmo.
Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será,
em algum momento, condenado.
Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido,
o mundo não pára para que você o conserte.
Aprende que o tempo não é algo que possa voltar atrás.
Portanto, plante seu jardim e decore sua alma,
ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.
E você aprende que realmente pode suportar...
que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais.
E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!
Willian Shakespeare


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gentileza

Reflexos

Sobre o cotidiano