Sou eou Somos

Estou ligado aos ventos. Eles me falam, mas quem são eles? São eles um eu através de vários outros de mim mesmo? Eles sussurram em meus ouvidos um canto inteligível,de tal melodia tão doce, nunca ouvi eu qualquer outro lugar, sua sonoridade é cor, é paz de espírito e coração cheio de esperança. Não os temo, não os vejo, não os falo. Eu os sinto...

Estou ligado aos dias e às horas... sinta os segundos tornarem-se os minutos e passarem na tua cara... e você parado... plácido... exacerbadamente calmo e tranqüilo...

Sou caminho de mim mesmo.
Sou um pouco de pasmo, um marasmo de desatenção.
Sou o chão que me tiram, sou a água e a sede.
Sou uma luz, que apagam.
Sou, sou, sou...

Sou tantos sou’s que me perco. Não sei o que pensar, o que querer e me acho um chato nessa repetição frenética de mim mesmo que busca uma auto verdade e uma definição fajuta de meia dúzia de palavras.

Sou tanto e tudo que no girar dos segundos, que se tornam horas, me torno um nada. Sou cores, sou o branco... sou o negro se os seus olhos sucumbirem aos devaneios da realidade. Pois, acima de tudo sou o que sou e você, é o que você lê e o que você respira. Talvez assim você seja eu e o que eu tenha de melhor. O que sobra são as migalhas que servirei ao banquete da tarde, onde vermes e pássaros comem, onde cordeiros e cervos saltam a espera d’um próximo ataque.

Sou a força por detrás da delicadeza. Sou aquele que se escondeu tanto que agora não há volta. Ele sucumbiu e o que se tem é um reflexo convexo de um espelho amanhecido.

Mas, acima de tudo, a convicção de ser algo, mesmo sem se saber o que se é, de fato, conforta-me e espero amanhã uma resposta de mim mesmo: que horas partirei?

Comentários

driftin' disse…
Há os que se limitam a deixar que o tempo passe por eles, sem ao menos prestar atenção às folhas que se arrancam aos calendários. E há outros - aqueles que se permitem desperdiçar até os minutos, já que a vida parece tê-los acomodado numa cápsula feita de despreocupação.

Talvez tu pertenças a outra estirpe!...

Talvez permaneças num constante processo de crescimento; talvez te descubras numa permanente busca das respostas para as tuas interrogações; talvez a solidão insista em permanecer a teu lado.

Seja como for, não desistas nunca daquele que te espreita do outro lado do espelho!...

Um grande abraço.

Postagens mais visitadas deste blog

Gentileza

Reflexos

Sobre o cotidiano