Meu Castelo de Cristal

"I can be an asshole of the grandest kind
I can withhold like it's going out of style
I can be the moodiest babyAnd you've never met anyone as negative
As I am sometimes"

Posso te dizer o que sinto? Posso ser o que realmente sou na sua frente? Posso te dizer os meus medos, os meus sonhos, te contar toda a minha vida e as minhas desilusões?
Posso? Posso? Posso assoviar as palavras no teu ouvido e você me responder no mesmo tom tudo aquilo que quero ouvir, mesmo que sejam as mentiras mais insanas e deslavadas?
Posso sonhar em ser um príncipe ou ser um pássaro? Você vai me deixar ser quem eu sou e quem eu quero ser? Você me deixa cantar até naquele tom em que eu desafino?
Você me ama? Ama do mesmo jeito que eu amo chocolate? Você me ama a ponto de sonhar aquilo que sonho e querer que eu sonhe com coisas melhores e que os pesadelos me deixem sozinho, na noite... no escuro da dor e dos corvos escuros da Noruega?
E quando eu de colo precisar, ou querer? Você vai estar por perto? Você tem que estar por perto! Eu não vivo sem colo, sou carente... sou muito carente e de colo preciso sempre.

"I am the wisest woman you've ever met
I am the kindest soul with whom you've connected
I have the bravest heart you've ever seen
And you've never met anyone as positive
As I am sometimes"

Se eu quiser ir à lua, você me levaria? Não quero menos do que tudo! Sou um menino mimado no meu mundo, e quero nada menos do que tudo! Quero falar Zanliadez! Você tem que aprender essa língua para falar comigo!
Posso sonhar com ilhas desertas, posso dizer que sou grande e maduro, posso brincar de soldado de papel e ser o um açougueiro de corações? Posso? Posso? ...
Quero apenas ser aquilo que não sei definir. Posso ser até algo comum, mas tem que ser eu, apenas isso. Das máscaras estou farto e que meus verdadeiros desejos de aflorem límpidos, mesmo que sejam absurdos como esses, ou aqueles que você adoraria realizar, mas tem compostura demais para tanto.


"You see everything you see every part
You see all my light and you love my dark
You dig everything of which I'm ashamed
There’s not anything to which you can't relate
And you're still here"

Quero perguntar aos ventos que te sopram até mim se eles estão certos em trazer-lhe para perto. E que a eternidade seja pouco tempo para nós. Quero teu toque, quero teu abraço, teus carinhos e tuas palavras de apoio. Quero te ver com roupas velhas e ver que está ao meu lado quando choro, mesmo sem saber como agir ou o que falar. Quero-te fazer feliz...
Desculpe se sou imprudente demais, se sou passional e mimado pelas ilusões de viver num castelo de cristal, onde ninguém antes me tocara. Lá eu era protegido, porém solitário demais para ser feliz, mesmo com todos os livros que eu queria ler. Vivia na inércia, na construção perfeita.


"I blame everyone else not my own partaking
My passive-aggressiveness can be devastating
I’m terrifying and mistrusting
And you've never met anyone as closed down as
I am sometimes"

Não sei que nome tem meus sentimentos, nem sei se há nomes para eles. Não sei também dizer o que está acontecendo, apenas sei que é legal te conhecer e te ter ao meu lado, desse nosso jeito: confusamente lindo.
Gosto de tudo que nos acontece: mesmo rodeado pelas incertezas e preocupações. Gosto da maneira que você conduz os fatos, da tua calma e do teu jeito de falar e de sorrir.


"You see everything you see every part
You see all my light and you love my dark
You dig everything of which I'm ashamed
There’s not anything to which you can't relate
And you're still here
But I resist persist and speaks none of them i know
But I resist your love no matter how low or high i go"
.
Acho que já consigo andar pelos jardins externos do meu castelo de cristal sem temer perder algo que nunca tive, que nunca me pertenceu. Percebo que meus “quereres” eram de um menino assustado, com medo de ver a vida, e que se protegia dentro dos portões do castelo de cristal, com milhares de obstáculos para si próprio, para então se afastar de qualquer possível encontro com os sentimentos bonitos que tanto almejava e temia ao mesmo tempo, pois, mesmo sem saber, sentia que podia sofrer. Percebo que dos meus mimos não sinto mais tanta falta, eram ilusões! Sinto que o mundo de fora pode me trazer momentos felizes, até mais felizes que aqueles que tinha em estado desvanecido de ser dentro as paredes de cristal. Percebo que mesmo que a primavera da minha vida fora mais parecida com os piores invernos nórdicos, aprendi a enfrentar o hoje, sem mais tanto medo, não que não tema mais, apenas não tenho tempo para deixar as coisas para o amanhã e não posso esperar ter certeza de tudo para então viver, pois de nada hei de ter certeza.

"I'm the funniest woman you've ever known
I'm the dullest woman you've ever known
I'm the most gorgeous woman you've ever known
And you've never met anyone as everything as I am sometimes"

Ainda sei que meus passos são lentos, sei que ainda tenho que me encontrar na escuridão do meu ser. Sei também que não há nada tão profundo que a melancolia que investe no meu coração. Mas ainda sim, consigo ver uma estrela de esperança.
Por isso, por essa linda estrela, que dou mais um passo a cada entardecer. Às vezes paro, às vezes caio de joelhos e choro por não ter mais o brilho de ontem, às vezes até penso em desistir... Mas sempre continuo, da minha maneira, mas continuo e penso que isso é o que importa, não sei até quando vou continuar, nem sei se preciso saber. Apenas quero dizer pra ti: Obrigado, por enxergar-me da forma que sou e não me abandonar! Obrigado por querer enxugar minhas lágrimas mesmo que sem saber o que dizer! Obrigado por entender minha escuridão! Apenas Obrigado!


"You see everything you see every part
You see all my light and you love my dark
You dig everything of which I'm ashamed
There’s not anything to which you can't relate
And you're still here"
.
Everything - Alanis Morissette

Comentários

Diego disse…
Acho que você poderia sintetizar suas idéias em algo menor... rs... É um texto longo e sempre igual. Acho que você é muito romântico, mas você tem uma escrita boa.
Até mais!
Kjartan Rágnarsson disse…
A dor que nos acossa quando perebemos que o mundo que nos circunda não é aquele ao qual estamos acostumados... quando nos damos conta de que não temos assim tanto controle sobre nossas vidas quanto desejaríamos...
Sim, isso dói. Porém, mais dor que nos causa a certeza de nossa impotência, é infligida pela dúvida. A dúvida é cruel. Quanto não perdemos pelo simples medo de tentar!
Às vezes pensamos que a idnorância é uma dádiva. Se nada sabemos, se nada conehcemos, nada sofremos. Pífia ilusão. Para nós, espíritos inconformados, almas descontinuadas, o conhecimento - ainda que o mais irrelevante - é totalmente necessário. É o ar que respiramos. É o rubro líquido que escorre por nossas veias...
Sim, viver dói. Dói muito. Somos todos, então, masoquistas, sádicos, pois adoramos tal dor. Aquilo que desconhecemos, apesar de nos assustar, nos atrai. Se existe algo que não conhecemos, desejamos intensamente conhecer! Curiosidade? Não. Fetichismo? Talvez. É, viver dói. Mas, afinal de contas, se viver fosse fácil, em que nos atrairia?
Arlequim disse…
É bom te ver com medo.
Pois temos medo do que consideramos possível, mesmo que nem sempre seja real. Só temem fantasmas, os que crêem que eles existem.
Ter medo de amar é sinal de que acredita poder faze-lo. Ter medo de ser feliz é certeza de que isso pode acontecer. Então, que seja bem-vindo esse medo.
É bom ver que alguém desperto-o em ti. Mesmo sem saber se o final desse capítulo será feliz. Mas, mesmo que não o seja, lembre-se, o livro não termina aqui.

(de um Arlequim que só quer te ver sorrir)
Luciana Alonso disse…
Nunca tinha conseguido entrar em seu blog e ler o que vc escreve... tive uma surpresa! e acho que nunca me dei conta de muitas coisas até ler todas suas postagens. Um abraço.
Bianca disse…
Oiii...
Po simplesmente achei perfeita tuas poesias!!! :)
adorei..
beijos

Postagens mais visitadas deste blog

Gentileza

Reflexos

Sobre o cotidiano